terça-feira, 25 de setembro de 2012

Dois Anos de Catarina Maria

Dia 22 de Setembro minha pequena Catarina Maria completou dois anos.

Na madrugada do dia 22 eu postei no meu facebook o seguinte cometário:
"Neste momento (01:30hs) eu entrava em Trabalho de Parto. Eu disse: "Não! é alarme falso" - Ele disse: "melhor ligar" - eu disse: Não... 41 semanas.quando vi o tampão, chorei. Disse: liga! nosso bebê vai nascer!Logo mais nossa parteira, companheira de viagem, chegaria e em pouco mais de 3 horas, sem dor, sem laceração, nascia nossa Catarina Maria. Há 2 anos.
Nasceu numa lua cheia, virginiana, veio quando quis, do jeito que quis. Me transformou inteira!
Trouxe consigo a primavera no raiar do dia.
Catarina menina.
Minha Flor de Maracujá."
Encerrei o dia com essa imagem:

















Não entendi na hora, mas fui dormir com algo incomodo.

Repassei a gravidez e a chegada da Catarina. 
Foram momentos difíceis pra mim!
Primeiro, porque não esperava a gravidez. A relação entrou em crise. Não me sentia bonita, nem feliz. Vivia numa profunda irritação, que variava da melancolia à explosão de raiva. 

Não quis saber o sexo do bebê, em nenhuma das gestações. Na primeira, não cheguei a questionar nada. Estava grávida e bastava. 

Na segunda eu sentia calafrios quando passava pela minha cabeça que poderia ser uma menina.
Um dia, durante uma crise emocional, minha parteira perguntou se eu tinha alguma intuição sobre o sexo do bebê. Respondi rápido: "vai ser menino também, não tenho jeito pra meninas. Sou mãe de menino!" e tentei encerrar o assunto. Ela insistiu: -"E, se for menina?" 
Fui tomada por um choro, e pela primeira vez eu consegui falar dos meus medos. 
Eu tinha medo de ser mãe de menina. Não queria!
Não achava justo nascer mulher nesse mundo covarde.
Disse o quanto eu já havia sofrido pelo simples fato de ter nascido mulher. Não queria! 
E não era menina, era menino!
Não tinha nem nome de menina. 
Ela, a parteira, mulher, também despiu um pouco de si e me deu em poucas palavras uma dose de coragem pra ser mãe de uma possível menina. Na verdade ela me deu mais. Me fez ver em mim, a menina que sou.

Eu tinha medo!

Dias depois, ouvi na escola do meu filho alguém chamar ao longe; - "Catarinaaaa", me arrepiei inteira! 
Era como se um raio tivesse caído em mim. Não tive mais nenhuma dúvida de que dentro havia uma menina e se chamaria Catarina. Na minha frente estava o Mauricio, que disse apenas: "Não gosto desse nome. Na verdade, não me  vejo pai de uma Catarina, mas a única pessoa no mundo que pode escolher o nome de um filho é a mãe. Quem sou eu? se você acha que é..." 
Não me saiu mais Catarina da minha cabeça.
Mas eu ainda não me convencia de que seria mãe de uma menina.

41 semanas de gestação de muito medo, incertezas, lágrimas, culpa, dor, solidão.

Entrei em trabalho de parto de madrugada. Por volta das 2 da madruga. Foi um trabalho de parto exatamente como eu sonhei. Rápido, sem dor. Imaginava que o francisco estaria dormindo e que o bebê nasceria e logo após ele acordava. E assim foi. 
Catarina nasceu as 05:37 do dia 22/09. Havia no céu uma lua cheia imensa e intensa.

O processo do parto começou antes, bem antes. Com 38 semanas achava que iria parir a qualquer momento. E não paria. 
Esse "não" parto, me deixava no chão. Qualquer intuição que eu tinha me levava a nenhum lugar. Já falei disso aqui.

Mas o parto da Catarina foi um presente muito especial. Apesar de todo o turbilhão que foi a gestação, eu tive um parto sem dor, sem laceração.

O parto do Francisco foi muito doloroso e eu senti muita raiva por isso, não queria que se repetisse e busquei ajuda. Pratiquei meditação, fiz yoga, dança do ventre, massagens. Dizia pra mim mesma que eu iria conseguir parir sem dor. 

E pari! 
Cada contração que vinha eu respirava, abria, deixava vir. E veio. Veio plena! 
Senti o repuxo do expulsivo.  Em três contrações ela estava nas mãos da parteira. Pouco mais de três horas de parto, e não houve dor.

Eu estava de costa e de cócoras, a Helô me pediu que virasse rápido. Quando ví que era menina, gritei bem alto: "É MENINAAAA!"
A Helô me contou depois que por um segundo quase falou antes, mas conseguiu se conter. Foi muito generoso da parte dela!

O Mauricio, desta vez ficou muito nervoso e mal conseguia participar do parto, mas por incumbência divina, a nossa doula, chegou em casa bem nesse momento, e o ajudou a chegar bem pertinho da porta do quarto. Ele a viu nascer!

Ainda estou me habituando a ser mãe de menina. Ela tem um olhar profundo. Me provoca. Adora me beijar até sufocar. Abraça. Dorme em cima de mim. 
É intensa como a sua lua de seu nascimento. Tenho aprendido muito...

Por ela trouxe flores pra casa e pros cabelos. 

Catarina Maria, minha flor de maracujá!
É uma Menina!




12 comentários:

  1. Lindo Maribel. Ótimo ler isso agora. Caiu muito bem.

    ResponderExcluir
  2. Nossa que lindo Maribel! Profundo... Me emocionei... Parabéns pra Catarina Maria e pra você!

    ResponderExcluir
  3. Emocionante, Maribel. Acho que ser mãe de menina realmente muda tudo. Eu não sou. Dessa minha barriga, só sairam príncipes. E tb não quis saber o sexo antes. Mas qdo pensava que podia ser uma menina, sempre me emocionava muito e começava a chorar. Tinha medo. Respirava aliviada, cada vez que um garotão saia de dentro de mim. Acho que criar menina é intenso demais para essa minha encarnação. Deus abençoe a sua flor de maracujá e todo aprendizado que veio e virá com ela. E que olhos! Bjs

    ResponderExcluir
  4. Que delícia de texto Maribel. Engraçado como é sempre assim nos aniversários. Vem aquele flashback na cabeça e a gente reflete, reflete. Acabam dando belos posts como este, e belos filhos. Parabéns para Catarina Maria, que nome bonito!

    beijos e parabéns pra mamãe e papai tb.

    ResponderExcluir
  5. Que texto lindo, emocionante. Eu sempre me questionei muito isso de ser mãe de menina, eu também tinha medo. E acho que por isso fiquei tão questionadora, não quero uma menina esteriotipada pela sociedade, pela mídia, já bastam os rótulos maternos... dos quais tentamos fugir, mas nem sempre conseguimos.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Catarina menina, menina Maria, Maria flor, que seja cheia de sorrisos, brincadeiras e ternura sua terceira volta em torno do sol. Você é ainda tão pequena e eu te vi por tão pouco tempo, e no entanto o tempo todo eu te achava enorme em sua pequenez. Enorme de vontades, de emoção, de alegria, de energia... É sempre tão bom conhecer gente assim - se aprende muito. Tomara que os anos não te tirem nem um pouco dessa confiança, e assim, tenho certeza, você achará delicioso (e quem sabe até fácil) ser mulher nesse mundo. E tomara que eu possa me sentar ao seu lado e te admirar, lua crescente sempre, e te desejar feliz aniversário todos os anos, e assim talvez aprender um pouco mais com você - porque você parece já saber (ou ainda saber) tudo o que te servirá para viver mulher: com a naturalidade mais doce (e intensa) que já vi por aí.
    E Bel: Nem posso imaginar seu medo, porque nem o medo de ser mãe eu conheço, quanto mais esse de ser mãe de menina. Mas do resultado eu posso dizer, e o resultado é lindo: por ela, por você, pelas duas, menina e mulher, juntas, tão parecidas e tão bem. Se o medo ajudou a colocar vocês onde estão hoje, e se vai ajudar daqui pra frente, então quem sabe até não foi um medo bom...
    Beijos nas duas, e parabéns às duas pela data.

    ResponderExcluir
  7. Estou grávida de 18 semanas e descobri ontem que seria uma menina. Desde o começo da gravidez, penso nesse nome, é forte. Li um livro que conta a história de uma vovó Catarina e ela relata a época em que foi escrava. Lindo!!!!!! Igual a sua história!!!! Minhas amigas fazem ahrrrrrr para este nome e procurando um pouco mais sobre ele achei o seu blog. Estou emocionada, as lágrimas escorrem e depois deste relato não tenho mais dúvida, minha neném também vai ser Catarina!
    Parabéns pela linda filha!!!!!
    Abraços
    Taynan

    ResponderExcluir
  8. Que linda sua postagem e digo que se ficasse grávida novamente gostaria que fosse uma menina,é muito bom,é gostoso vc se arrumar duas vezes,pintar as unhas duas vezes,passar batom duas vezes emfim duas vezes sim porque é vc e sua pequena adoroooo,aproveita porque logo ela será independente.Vim convidar vc a me visitar estou de volta depois de um ano por causa de muito trabalho e problemas pessoais te espero lá no meu cantinho,e aqui estarei.BJUS! www.maeemulheraomesmotempo.blogspot.com Angelita

    ResponderExcluir
  9. ai Maribel, tô aqui emocionada. Catarina, linda.

    obrigada por compartilhar conosco.

    bjo

    ResponderExcluir
  10. Lindíssimo texto! emocionante
    www.arcadenoebaby.com.br

    ResponderExcluir

Boa noite pra quem é de noite, bom dia pra quem é de dia!

Outros Posts do Blog

Related Posts with Thumbnails

Assuntos que se Fala por Aqui

Canções (13) Maternidade (11) Blogagem Coletiva (10) Francisco Bento (9) Amamentação (7) o brincar (7) Parto (6) Gestação (5) MissCup (5) Mistério (5) Notícias (5) Escolhas (4) Eventos (4) Heloisa Lessa (4) Sagrado Feminino (4) Sorteio (4) na radiola (4) Catarina Maria (3) Crises na Maternagem (3) Mamaço Virtual (3) Roda de Mães (3) Aliança Pela Infancia (2) Aprendendo a Falar (2) Brinquedos Feitos à Mão (2) Carregadores de Bebê (2) Clube da Mafalda (2) Coletor Menstrual (2) Manifesto Pela Amamentação (2) Mauricio José (2) Mudanças (2) Parteiras (2) Passeios (2) Sustentabilidade (2) Vida na Roça (2) A Arvore Jardim Waldorf (1) Acolhimento do Bebê (1) Adeus ao Blogger (1) Alimentação Infantil (1) Alimentação de Bebês (1) Argumentação Infantil (1) Birras (1) Bola Fora de Mãe (1) Bom Dia (1) Brinquedos e Consumo (1) Canção (1) Carinho de Filho (1) Carta Aberta (1) Contação de Histórias (1) Conto Sufi (1) Croc (1) Crônicas (1) Dentes Quebrados (1) Dia das Avós (1) Dia das Mães (1) Dia dos Pais (1) Dia dos Santos Reis (1) Doe Sangue (1) Ecologia do Parto e Nascimento (1) Eduardo Galeano (1) Elis Regina (1) Elisa Lucinda (1) Escola (1) Exaustão (1) Excesso de Peso (1) Febre de Mãe (1) Feira Livre (1) Feliz 2012 (1) Feliz Ano Novo (1) Feliz Natal (1) Fernando Pessoa (1) Francisco Gregório Filho (1) Gisele Bünchen (1) Honrar a Criança (1) Infância Livre de Consumismo (1) Ir ao banheiro (1) Leite Materno Contaminado (1) Lombar (1) Mamaço Nacional (1) Mercado de Trabalho (1) Michel Odent (1) Nina Veiga (1) Ninando (1) Ocitocina Atelie (1) Oficina de Boneca Waldorf (1) Praças (1) Preguiça (1) Processo (1) Receitas (1) Relato de Parto (1) Resultado Sorteio (1) SOS Região Serrana RJ (1) Sapatos (1) Segurança no andar (1) Selinhos (1) Shantala (1) Tempo para Comer (1) Troca de Brinquedos (1) Ultrassonografia (1) Volta ao Trabalho (1) Vídeos (1) na moviola (1)

Gente Boa de Papo